terça-feira, 21 de janeiro de 2014

População de Cotia, já sofre com mudança dos serviços do IML


A população de Cotia já começa a sentir os transtornos com a mudança do atendimento do IML da cidade para Osasco, como publicou ontem o cotiatododia (LEIA). Além do fato de ter que se deslocar de Cotia até Osasco, o péssimo atendimento na unidade osasquense e a falta de estrutura agravam a situação de quem procura pelos serviços do IML.
Nesta segunda-feira o cotiatododia conversou com três pessoas que precisaram ir até a unidade em Osasco (foto) e ouviu muita reclamação por parte deles.
O morador Joeverson Pitarães sofreu acidente de moto, teve uma fratura no punho e teve que ir até Osasco, amparado por uma irmã. Ele reclamou de ter que se deslocar até a cidade vizinha: “Minha irmã teve que sair do serviço dela para me trazer, já que não posso dirigir e ela ainda está grávida. Fui ao IML Cotia fazer o Corpo Delito e me informaram que não estavam mais fazendo e me mandaram para cá. Vim fazer perícia para dar entrada no DPVAT (Seguro de Trânsito). O atendimento é precário, bagunçado, tem muita gente aqui, o esquema de senha é falho. Preciso do exame também para dar uma posição na empresa que trabalho. Lá em Cotia me disseram que o problema foi causado por causa da prefeitura e disseram que estão tentando resolver”, comentou.
Outra pessoa que estava na fila há muitas horas, era uma mulher, que não quis se identificar. Ela contou que foi difícil chegar até o IML, pois não há sinalização nas ruas próximas indicando a unidade. “Fiquei procurando o prédio por uns 20 minutos, é muito difícil chegar aqui. Eles dão preferência aos atendimentos de emergência, no caso, detentos. Outra coisa chata é a grosseria da atendente de enfermagem, totalmente despreparada. O atendimento é péssimo. É uma precariedade fora do comum”, disse.
Mais um caso de perícia pós-acidente foi vivido por Clara, de 38 anos. Como Joeverson, ela precisa da perícia para dar entrada no DPVAT e satisfação à empresa onde trabalha: “Tudo muito bagunçado, gente despreparada e fiquei na fila por quatro horas, um caos. Precisam chegar numa solução urgente e o IML de Cotia voltar a atender, por favor”, desabafou.
O sindicalista Alex da Força esteve nesta segunda-feira no IML Osasco e descreveu em sua rede social o que viu: “O tempo que estive lá, sentindo na pele o que estavam sentindo aqueles homens e mulheres (algumas gestantes) é para se indignar. O local de atendimento e a estrutura física do prédio são precários, faltam profissionaispara atender a demanda dessa unidade, não há separação de atendimento das pessoas de Bem com Marginais. Em conversa com uma mulher que aguardava a liberação do corpo de sua mãe, ela estava ali já há mais de quatro horas sem se alimentar, pois não queria sair do local para não perder a vez na fila (uma fila grande por sinal). Fui comprar um alimento para essa senhora e vi a dificuldade de encontrar um bom local perto para se alimentar. Para quem vai de ônibus, além do custo elevado, pois as tarifas são intermunicipais, o IML Osasco é distante das paradas de ônibus. Que sofrimento”.
Na tarde desta terça-feira haverá uma reunião em São Paulo entre prefeitura e Estado para tentar chegar a uma solução. O cotiatododia informará seus leitores assim que houver uma decisão.

Fonte: CotiaTododia, por:  Beto Kodiak

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas