terça-feira, 4 de novembro de 2014

Política de preços no Brasil inviabiliza o transporte coletivo e privilegia o individual



ônibus
Ônibus urbano. Política de preços incentiva transporte individual mesmo com os ônibus atendendo por 86,6% do transporte coletivo no Brasil. Foto: Adamo Bazani
Política de preços no Brasil incentiva transporte individual
O contrassenso é tão grande que proporcionalmente ficou mais barato usar carro que transporte coletivo
A política de segurar o preço da gasolina para controlar a inflação e os incentivos fiscais para a indústria automobilística criaram uma distorção nos custos dos transportes no Brasil. É o que revela uma reportagem do jornal O Globo. Usar o próprio automóvel ficou proporcionalmente mais barato que utilizar ônibus, metrôs, trens ou barcas. Em 20 anos, as tarifas de transporte coletivo subiram 685%. Já o custo para abastecer o carro com gasolina ou etanol aumentou 423%.
Somente a tarifa de ônibus, que é responsável por 86,6% do transporte coletivo no Brasil, teve reajustes de 711,29%. Ao todo, 107 mil ônibus transportam 40 milhões de pessoas por dia em 3 mil 311 cidade.
A comparação com a elevação dos custos para comprar um carro mostra também que a política de preços no país também incentiva o transporte individual.
De janeiro de 2002 até março deste ano, em média os preços dos carros novos subiram 10,2%. Já a gasolina teve reajustes de 70,5%, as tarifas de metrô subiram 96,3% e as de ônibus 141%.
Confira a matéria completa em:
http://oglobo.globo.com/economia/gasto-para-usar-transporte-publico-subiu-mais-em-20-anos-do-que-para-andar-de-carro-14444273


Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas