segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

SP: “Passe-livre” no Metrô e CPTM fica só para março



metrô
Metrô de São Paulo. Diferentemente do que havia anunciado o governador Geraldo Alckmin, passe-livre estudantil em trens e metrô não foi concedido de imediato no dia 19 de fevereiro, ficando agora apenas para o início de março. No caso de ônibus e trólebus gerenciados pela EMTU, previsão é a partir do próximo dia 19.

Secretaria recua e passe-livre ferroviário só no início de março
Para ônibus metropolitano, expectativa é a partir do dia 19 de março

Após o governador Geraldo Alckmin alardear no último dia 19 de fevereiro de 2015 a gratuidade imediata para estudantes de ensino básico, médio e tecnológico da rede pública e estudantes do nível superior de baixa renda na CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e no Metrô de São Paulo, a secretaria de transportes recuou e informou que apenas no início do mês de março é que o benefício estará em vigor.
Segundo a pasta, houve um problema de comunicação entre o sistema da SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora dos ônibus da capital paulista, e dos transportes ferroviários. A gratuidade para os estudantes nos trens e no metrô será concedida através do Bilhete Único da SPTrans.
A secretaria não detalhou que tipo de falha foi este e o dia exato do início da gratuidade em março.
As regras para concessão continuam.
Também permanece a previsão da gratuidade só a partir de 19 de março nos ônibus e trólebus da Metra, no Corredor Metropolitano ABD, e nos ônibus intermunicipais gerenciados pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos na Grande São Paulo e regiões da Baixada Santista, Vale do Paraíba e de Campinas.
Ônibus intermunicipais de outras cidades gerenciados pela Artesp _ Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transportes do Estado de São Paulo não darão gratuidade aos estudantes. Eles atendem à boa parte dos municípios do interior paulista.
No caso dos ônibus e trólebus gerenciados pela EMTU, a gratuidade será concedida pelo Cartão BOM – Bilhete de Ônibus Metropolitanos.
Para ter direito, tanto para trens, ônibus e metrô, o estudante deve procurar a instituição de ensino. O limite, de acordo com a frequencia semanal às aulas, é de 48 viagens por mês. Podem ter direito ao passe livre metropolitano, os estudantes nas seguintes condições:
– alunos dos ensinos fundamental e médio matriculados na rede pública;
– estudantes de cursos profissionalizantes de nível técnico da rede pública;
– estudantes do ensino superior da rede pública e privada, que comprovem renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo nacional – R$ 1.182;
– estudantes do Centro Paula Souza e Etecs; – estudantes das Fatecs, que comprovem renda familiar per capita até 1,5 salário mínimo;
– bolsistas do Prouni (Programa Universidade para Todos); – financiados pelo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil);
– integrantes do Programa Bolsa Universidade (Programa Escola da Família);
– atendidos por programas governamentais de cotas sociais e raciais.

Fonte: Blog: Ponto de ônibus, por: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas