sábado, 14 de fevereiro de 2015

VAN JÁ ATENDE AOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS EM IBIÚNA; PROBLEMAS COM OS ÔNIBUS PROSSEGUEM


atende
A partir desta sexta-feira (13) está disponível para os ibiunenses que necessitam de acessibilidade aos meios de transportes públicos uma van Sprinter Atendê. Ela pode ser solicitada por meio de uma linha 0800 ou por e-mail, informou hoje à tarde à vitrine online e ao Planeta Azul o vereador Israel de Castro (Zaia), logo depois de reunião realizada na prefeitura com quatro representantes da Danúbio Azul, proprietária da Viação Raposo Tavares, que assumiu o transporte público no município. Outros cinco vereadores participaram do encontro. Zaia experimentou o novo veículo e aprovou.
Essa (boa) notícia chega depois de várias reclamações feitas por usuários que deixaram de contar com esse serviço desde o dia 2 de fevereiro, quando a empresa anterior foi dispensada pela prefeitura. Aparentemente, mencionou o parlamentar ibiunense, pela forma repentina como ocorreu a substituição, acabaram esquecendo de que havia um serviço [feito com um micro-ônibus adaptado].
Zaia, ele próprio cadeirante, é autor da lei nº 1933, de 17 de abril de 2014, que “garante a acessibilidade no transporte público coletivo municipal e autoriza a criação do serviço de transporte especial destinado a atender pessoas com mobilidade reduzida”.
A lei é clara em seu artigo 1º: a empresa contratada para prestar serviço de transporte público é obrigada a disponibilizar “pelo menos 50% da frota de veículos atendendo às normas de acessibilidade”. Por isso mesmo, o vereador considera essencial que a prefeitura realize o mais breve possível uma licitação, para assegurar o cumprimento da lei, já que um contrato emergencial como é a presente situação em Ibiúna “torna tudo provisório”.
O parlamentar lembra que não apenas a lei municipal está sendo descumprida, mas também o Decreto Federal nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004, que estabelece “normas gerais e critérios básicos para a promoção de acessibilidade às pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida”. Foi dado um prazo de dez anos para as empresas de transporte se adaptarem aos termos da lei. Esse prazo terminou no dia 2 de dezembro de 2014 e o seu descumprimento revela o fosso que existe entre a lei e sua aplicação na prática, em prejuízo da população.

COMO PEDIR O SERVIÇO
O vereador informou que em Ibiúna existem 15.000 pessoas portadoras de deficiências, 300 dos quais são cadeirantes. O pedido do Atendê deve ser feito pelo telefone [gratuito] 0800-7700456 [falar com Elaine] ou por meio do e-mail sau-cta@danubioazul.com.br. Zaia recomenda aos interessados que façam o pedido com antecedência de 24 horas, isto porque a central de atendimento se localiza em Cotia, ainda que a van estará baseada na garagem da Danúbio Azul no bairro do Curral, em Ibiúna. Antes que houvesse a mudança de empresa, cerca de 15 cadeirantes estavam cadastrados. “Se o número de cadastrados se ampliar consideravelmente, será importante que se disponibilize outra van”, comentou o vereador tucano.
Em relação à frota de 42 ônibus contratada de forma emergencial, apenas um ônibus está adaptado para atender o passageiro que necessita de meios de acessibilidade. Um número irrisório e que consagra um desrespeito notório às leis federal e municipal.
HORÁRIOS E ITINERÁRIOS
Outro assunto da reunião foi decorrente da enxurrada de reclamações da população pelos serviços insatisfatórios que vem sendo prestados pela nova empresa de transporte público, a Viação Raposo Tavares. Estavam operando de maneira “cega”, ao que tudo indica, porque não tinham o conhecimento do itinerário praticado há muitos anos pela empresa dispensada, assim como a escala de horários.
Exatamente hoje foi entregue a Viação Raposo Tavares os itinerários e tabela de horários para que possa se adaptar e resolver os problemas de atrasos imensos que já causaram grande desconforto à população em geral e aos estudantes, em particular. Muitos se queixaram de chegar atrasados no serviço e outros por nem mesmo conseguiram ir às aulas.
Na aritmética do vereador Zaia a reunião de hoje não consegue convencer de que haverá uma solução adequada. Isso porque, por contrato, são 42 ônibus operando, enquanto a empresa anterior operava com 55. Numericamente, então, haverá restrição para que haja um nivelamento com a oferta anterior [ainda que houvesse um acúmulo de queixas de acidentes constantes, quebras frequentes de ônibus, tanto decorrentes do fato de a frota estar superada por muitos anos de uso e pela falta de manutenção adequada]. Aparentemente, para que possa haver aumento no número de ônibus, para se estabelecer uma equiparação, precisará haver um aditivo ao contrato emergencial, o que exigirá mais investimentos públicos.
Fonte: VITRINE ONLINE- WEBTV PLANETA AZUL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas