terça-feira, 24 de março de 2015

Licitação de São Paulo: cidade terá quatro tipos de linhas de ônibus

Licitação dos Transportes de São Paulo: Cidade terá quatro tipos de linhas diferentes
Prazo máximo de concessão será de 20 anos


ônibus São Paulo
Ônibus municipal em São Paulo. Cidade terá quatro tipos de linhas. 
Foto: Adamo Bazani





















O secretário municipal de transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, apresentou nesta segunda-feira, dia 23 de março de 2015, as diretrizes gerais da licitação do sistema de ônibus da cidade.
Foi a primeira audiência pública para elaborar o edital que deve ser lançado entre abril e maio. Segundo Tatto, a licitação deve ser concluída em julho.
As linhas de ônibus serão divididas em quatro tipos:
– Linhas locais de distribuição: vão atender trajetos a partir dos bairros em ruas menores. Podem ser bidirecionais, com ida e volta com destino a um terminal, ou então circulares. Estes trajetos devem ligar bairros sem a necessidade de o usuário passar pelo centro da cidade.
– Linhas estruturais radiais: vão passar por corredores de ônibus. A demanda é maior, com intervalos mais curtos e ônibus do tipo articulados, superarticulados e biarticulados.
– Linhas estruturais perimetrais: vão passar por avenidas maiores e vão permitir a integração com terminais e corredores de ônibus estruturais radiais. Devem ligar também centros de cada região.
– Linhas de articulação: devem ser instaladas em ruas mais largas e devem ligar regiões diferentes e atender quem tem dificuldade de se deslocar a pé de um sistema para outro. A demanda espera é menor, com ônibus de médio ou pequeno porte.
A prefeitura pretende seguir adiante com o modelo de criação de redes, como a Rede da Madrugada. Mas agora, a intenção é apresentar uma rede para sábado, outra para domingos e feriados, uma para horário de pico e uma quarta para as demais horas, cada uma com linhas e trajetos que podem ser diferentes.
Tatto também disse que a concessão será de, no máximo, 20 anos. O valor dos contratos será de R$ 120 bilhões neste período.
A taxa de lucro das empresas deve ser reduzida em relação aos atuais patamares.
As empresas serão agrupadas em SPE – Sociedades de Propósito Específico em vez de companhias individuais ou consórcios como é o sistema atual. As cooperativas serão extintas definitivamente, mas como já vem ocorrendo, os cooperados podem se unir e formar empresas.
As SPEs não vão poder ter contratos em outras cidades, o que não significa que as empresas que formarem estas entidades serão proibidas de atuação em outros municípios.
A SPTrans promete acrescentar outros detalhes à medida que os estudos e audiências forem avançando para compor o edital.

Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas