quinta-feira, 30 de abril de 2015

EMTU deve reduzir áreas operacionais em São Paulo e exigir SPEs

Pela sexta vez a EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos – tenta sem sucesso licitar as linhas de ônibus intermunicipais que ligam as cidades do ABC à Capital Paulista.
A última audiência para apresentação de proposta, que ocorreu na sexta-feira, foi esvaziada pelas empresas de ônibus da região. A primeira tentativa do Governo do Estado de São Paulo, foi em 2006,  quando foram licitados os transportes de outras quatro áreas operacionais da região metropolitana. Foram formados consórcios e renovada a frota.

EAOSA
EMTU vai reorganizar Grande São Paulo e reduzir para quatro o número de áreas de operaçãoProposta tenta evitar novo boicote das empresas de ônibus do ABC para a licitação dos transportes intermunicipais Estado deve adotar SPEs

OUÇA A ENTREVISTA EM:
http://cbn.globoradio.globo.com/sao-paulo/2015/04/29/EMTU-NAO-OBTEM-SUCESSO-NA-LICITACAO-DE-LINHAS-INTERMUNICIPAIS-ENTRE-ABC-E-CAPITAL.htm

Atualmente, as 153 linhas da área 5, correspondente ao ABC, são operadas por permissões precárias. O modelo impede, na prática, exigências mais rígidas de qualidade de prestação de serviços. Hoje, a frota intermunicipal entre o ABC e a Capital é a mais velha dos serviços metropolitanos do estado. A média de idade dos ônibus é de nove anos. Além disso, atrasos, quebras constantes e linhas que não atendem às necessidades dos passageiros são queixas constantes da população.
O presidente da EMTU, Joaquim Lopes, admite os problemas. Ele diz que na próxima licitação, em toda a região metropolitana de São Paulo, que deve ser finalizada em maio do ano que vem, o governo do estado estuda incorporar os serviços do ABC a operadores de transportes de outras regiões
SONORA
Algumas empresas de ônibus no ABC estão com problemas jurídicos e trabalhistas. Um dos grupos empresariais está em recuperação judicial para fugir da falência.
A área 5 da EMTU possui 153 linhas em cerca de 800 ônibus que transportam quase oito milhões de passageiros por mês.
A EMTU estuda também a criação de SPEs – Sociedades de Propósito Específico em vez dos atuais consórcios, como deve ocorrer na licitação dos ônibus municipais de São Paulo, gerenciados pela SPTrans.
Na visão do Governo do Estado, do aspecto jurídico, é mais fácil o relacionamento com as sociedades do que com os consórcios.
A CBN entrou em contato com o sindicato das empresas de ônibus da região e aguarda um retorno.

Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas