quarta-feira, 10 de junho de 2015

Aposentado na ativa pode sacar FGTS mensalmente

Resultado de imagem para Aposentado na ativa pode sacar FGTS mensalmente
Para ter esse direito, é preciso que o empregado continue na empresa pela qual
 deu entrada no benefício do INSS e tenha carteira de trabalho assinada

Rio - São muitos os casos de aposentados que continuam trabalhando para complementar a
 renda. Mas o que poucos sabem é que essas pessoas podem resgatar mensalmente o
 Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), seja para usá-lo ou, de preferência, 
investir em uma aplicação que renda mais. 

Para ter esse direito, é preciso que o empregado continue na empresa pela qual deu
 entrada no benefício do INSS e tenha registro na carteira de trabalho. Presidente do I
nstituto Fundo Devido ao Trabalhador, Mário Avelino explica que o resgate do depósito é
 uma opção exclusivamente do trabalhador. “A empresa deposita normalmente.
 Se o funcionário quiser retirar o dinheiro do fundo, basta ir até a Caixa Econômica Federal 
e informar que deseja ter esse depósito mensal transferido para a conta dele”, afirma. 

O empregador deposita no FGTS por mês um percentual fixo de 8% sobre o salário do
 empregado. Isso significa que um aposentado na ativa com remuneração de R$ 1 mil 
no trabalho poderia sacar do fundo R$ 80 por mês. Mas vale a pena lembrar que a data de 
vencimento do depósito é no dia 7 de cada mês, e que a transferência para a conta 
solicitada pelo trabalhador leva pelo menos 15 dias. 

Para Mário Avelino, o mais recomendável é que o aposentado que continua trabalhando 
transfira o dinheiro do FGTS para uma poupança ou qualquer outra aplicação que renda mais.
 “Se a pessoa pode sacar, aconselho que saque. Dinheiro no fundo de garantia é prejuízo certo”, 
avalia o especialista.

Rendimento do fundo está defasado

Enquanto o FGTS rende juros de 3% ao ano (mais a Taxa Referencial), a poupança rende 6,17%
 (mais a TR) nesse mesmo período. É mais que o dobro de diferença, isso porque a caderneta 
ainda perde para a inflação, que encerrou os últimos 12 meses em 8,24%, segundo a prévia do
 Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) de maio.

O trabalhador que retirar o dinheiro do fundo e aplicar no Tesouro Direto, por exemplo,
 pode ter rendimento equivalente à taxa Selic, ou seja, 13,75% ao ano. Esse percentual é 
mais de quatro vezes maior que os juros dados pelo Fundo de Garantia.

Segundo Mário Avelino, do Instituto Fundo Devido ao Trabalhador, o modelo de atualização
 monetária do FGTS não repõe a inflação. “Desde 1999 o governo pratica esse confisco. 
Só este ano, deixou de creditar R$ 34 bilhões”, explica.

AGU evita prejuízo de R$ 1 milhão com erros do INSS

Uma unidade da Advocacia-Geral da União (AGU) economizou quase R$ 1 milhão aos cofres 
públicos em apenas três meses ao demonstrar equívocos em cálculos de cobranças judiciais.
 Quase a totalidade do valor — que a Procuradoria Seccional Federal (PSF) em Ji-Paraná (RO) 
evitou ser pago indevidamente entre março e maio de 2015 — está relacionada ao 
repasse de benefícios previdenciários pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Segundo a a procuradora federal responsável pela unidade, Giovanna Zanet, os erros mais
 recorrentes nos cálculos são: equívocos na data inicial e final do benefício, incidência
 incorreta de juros de mora, inclusão de parcelas já pagas administrativamente e de 13º nos 
benefícios da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas). O benefício de prestação continuada,
 pago a idosos com mais de 65 anos e deficientes desde que a renda familiar seja menor
 que um quarto do salário mínimo, não prevê o pagamento desta parcela. 
 Fonte: O Dia Online,por: STEPHANIE TONDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas