segunda-feira, 20 de julho de 2015

Maior parte dos roubos e furtos de celulares ocorre no transporte público

Pesquisa em todo o Brasil levantou dados de 4.200 ocorrências. Confira algumas dicas para não ser vítima

Você tem o hábito de ver mensagens, fotos, trocar e-mails, entrar em redes sociais e ainda fazer ligações em celulares dentro dos ônibus, trens e metrô?
celular no ônibus
Uso de celulares em ônibus é cada vez mais comum.
Empresas oferecem wi-fi e agradam passageiros,
mas maioria de roubos e furtos de aparelhos
 ocorre nos transportes públicos . Foto: Divulgação.
A prática pode fazer com que a pessoa ganhe tempo, adiante alguns compromissos de estudo e trabalho, além de se distrair em meio aos longos deslocamentos urbanos e metropolitanos. Algumas empresas de ônibus oferecem inclusive wi-fi dentro dos veículos de transporte coletivo, o que tem sido muito bem recebido pelos passageiros.
No entanto, quem usa dispositivo móvel nos ônibus, trens e metrô, deve estar com os olhos bem abertos e não se distrair.
Pesquisa realizada pela corretora “Bem Mais Seguro”, com base em 4.200 relatos do site “Onde Fui Roubado” mostra que a maior parte dos roubos e furtos de celulares em diversas partes do país ocorreu dentro de veículos de transporte coletivo, pontos, estações e terminais.
Foram 31% das 4.200 ocorrências, entre registradas ou não na polícia, em um mês.
Em segundo lugar, com 29% dos registros, aparecem locais públicos, como ruas, avenidas, praças e parques.
Na terceira posição, com 25% das ocorrências, estão roubos e furtos de celulares relacionados ao trânsito, como a motoristas e motociclistas atacados enquanto estão no semáforo, e passageiros de táxis.
Ainda de acordo com o levantamento da corretora, inédito no País, a maior parte das ações, seja em ônibus ou em outros locais, ocorre na parte da noite, com 56% dos relatos.
O valor médio dos aparelhos roubados ou furtados é de R$ 869. A pesquisa ainda mostra que 63% dos entrevistados têm intenção de fazer um seguro para os aparelhos. A maior parte das apólices cobre furto qualificado ou roubo, mas há planos para quebras ou defeitos por mau uso.
ATENÇÃO PARA ALGUMAS DICAS DA POLÍCIA MILITAR DE SÃO PAULO QUE SERVEM PARA TODO O PAÍS:
Para evitar os furtos ou roubos
– Não se distraia enquanto estiver fazendo uso do aparelho. Sempre olhe para os lados.
– Se perceber que alguém está olhando fixamente para o aparelho ou para você, coloque o celular em lugar seguro. Nunca ostente.
– Sempre deixe o celular em bolsos da frente. As bolsas com o aparelho devem ser levadas na frente também, junto ao corpo. Evite colocar o celular no bolso de trás da calça ou em bolsos rasos laterais de blusas ou jaquetas.
– Se o ônibus, trem, metrô, estação, terminal ou ponto estiverem muito lotados, evite ao máximo usar o celular. Procure não usar o aparelho enquanto estiver em pé no meio de transporte.
– Não use o celular em pontos de ônibus muito escuros e sem movimento.
– Fale ou digite somente o necessário
Em caso de furto ou roubo:
– Em hipótese nenhuma reaja à abordagem do criminoso. Não se esqueça que dificilmente bandido age sozinho. Normalmente há um comparsa que pode agredi-lo em caso de reação. Além disso, o bandido age com o fator surpresa e armado.
– Não discuta ou encare o criminoso. A vida vale mais que um aparelho, por mais revoltante que seja trabalhar meses ou até anos para conseguir um celular ou tablet melhor.
– O celular também tem uma espécie de RG, um número de identidade. Chama-se IMEI. É um número de registro que deve ser informado em caso de furto ou roubo. Para saber o IMEI do seu aparelho basta discar o seguinte: *#06#. Guarde o número em casa ou no trabalho para informar se houver necessidade.
– Bloqueie o celular imediatamente na operadora.
– Sempre registre ocorrência na delegacia de polícia. Isso, além de facilitar o bloqueio da linha, ajuda a polícia mapear as linhas de ônibus, pontos, estações e terminais com maior incidência de casos para a polícia tomar ações preventivas.
– Na hora de registrar a ocorrência informe a maior quantidade de dados possível: características e vestuários dos criminosos (em caso de roubo), horário da ocorrência, local com pontos de referência, número de ônibus, empresa, linha, destino, entre outros dados.
Lembrando que a empresa de transporte não é responsável em caso de roubos e furtos pelo fato de se tratarem de problema de segurança pública.

Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas