quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Prefeitura de São Paulo insiste em faixa de ônibus na Raposo Tavares, mas governo do Estado é contra

DER diz que medida é tecnicamente inviável, mas poder municipal acredita que impactos serão positivos para quem se desloca de transporte público

ônibus
Ônibus que serve a região da Raposo Tavares. Prefeitura quer faixa em rodovia, mas governo do estado é contra.
A discussão sobre a instalação de faixas para ônibus nos trechos urbanos da rodovia Raposo Tavares na cidade de São Paulo voltou à tona com a negativa do DER – Departamento de Estradas de Rodagem, órgão estadual, em fazer as adequações para viabilizar o espaço para o transporte público.
Segundo a administração municipal, que deve insistir no projeto, não haveria impactos negativos para o trânsito de demais veículos e a velocidade média dos ônibus, hoje em 8km/h subiria para 20 km/h. Isso beneficiaria aproximadamente 133 mil passageiros que passam diariamente pelas 20 principais linhas que atendem os trechos urbanos municipais da Raposo.
Serão, pela proposta da prefeitura, 10 quilômetros de faixas para os ônibus à direita nos dois sentidos.
Para isso, as atuais faixas de rolamento, com larguras entre 3,5 metros e 3,6 metros se tornariam mais estreitas.
Para o DER, a medida pode afetar a segurança dos motoristas e, principalmente de motociclistas, que passam entre os veículos e que mais faixas na rodovia exigiriam obras como mudanças de passarelas.
A autarquia estadual diz que até 2017 vai concluir obras de R$ 83,4 milhões para recuperar o asfalto e melhorar a sinalização para os carros no trecho entre São Paulo e Cotia.
As faixas de ônibus não são o único empreendimento de transportes públicos barrados pelo Governo do Estado. O Metrô, mesmo sendo de administração estadual, teve de engavetar os planos de um monotrilho da capital até Cotia.
Por dia, passam no trecho urbano municipal da Raposo, 185 mil veículos, sendo hoje a estrada estadual mais movimentada de São Paulo.
Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

4 comentários:

  1. Há anos venho falando na Municipalização dos primeiros quilômetros desta Rodovia, tornando-a no que ela já é a tempos, uma Avenida. Só que mau administrada como rodovia, o que traz mais problemas. Projetada há mais de cem anos mantém o traçado original, mesmo tendo sido duplicada nos anos 70.
    Como exemplo da administração, gostaria de citar:
    Que muito desse investimento esta sendo usado na construção de muretas de concreto, indiscriminadamente.Ou ainda na afirmação do DER que precisa viabilizar a passagem de motocicletas entre veículos.

    José Marques

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Amigo , nesse caso é pura falta de interesse, pois vi projetos onde ha espaço suficiente para implantarem corredores de onibus em toda a Rodovia Raposo Tavares, porém o Governo do Estado fica com um jogo de empurra empurra com a Prefeitura de SP, Agora a prefeitura se declarou a favor mas o GovernoSP , não quer,ou seja a população que sofra o quanto eles quizerem, pois ficam fazendo joguinho e como sempre quem perde é a população.
      E o pior citando a falta de recursos......

      Excluir
  2. A resposta para isso é essa ideia de polarização política, que sempre tem de contrariar os projetos um do outro, trazendo como sempre prejuízo a população

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, para Mim, isso se chama pura falta de vontade politica,onde a população fica refem dos governos ou politicos.
      Obrigado pela participação.

      Excluir

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas