quinta-feira, 17 de setembro de 2015

SP: Multas às empresas por descumprimento de partidas crescem 72,79%,no transporte coletivo

No total de infrações, houve queda de 2,3% na aplicação de penalidades. Descumprimento de partidas pode interferir na remuneração das viações pela licitação

ônibus
Ônibus em São Paulo. Número total de multas cai, mas crescimento do descumprimento de viagens preocupa.
O total de multas por diversas infrações cometidas pelas empresas de ônibus da cidade de São Paulo caiu 2,3% no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Enquanto entre janeiro e junho deste ano a gerenciadora dos transportes da cidade, SPTrans, aplicou 65 mil 855 multas às concessionárias (subsistema estrutural – viações) e às permissionárias (subsistema local – hoje empresas ex-cooperativas), no mesmo período de 2014, foram 67 mil 458 multas.
Hoje cada multa custa às empresas de ônibus R$ 360.
As informações são da própria SPTrans e foram repassadas pela gerenciadora ao repórter Rafael Italiani, do jornal O Estado de São Paulo.
No entanto, alguns problemas na cidade chamam a atenção, como o descumprimento das partidas dentro das faixas de horário.
Este tipo de problema teve crescimento de 72,79% no primeiro semestre deste ano em comparação com os seis primeiros meses de 2014. Foram 21 mil 437 anotações no período em 2015 ante 12 mil 496 em 2014.
O problema preocupa porque além de atrasar a vida de milhões de passageiros por dia, requer uma ação conjunta de empresas e poder público. Em grande parte dos casos, o número de partidas não é cumprido pelo fato de os ônibus não terem prioridade adequada no espaço urbano e, presos nos congestionamentos, não conseguirem chegar ao final da linha para a outra viagem. Mas também ônibus quebrados e problemas de planejamento das empresas interferem no cumprimento no número de partidas.
Na licitação dos transportes da cidade, a prefeitura de São Paulo quer estipular um modelo que afete a remuneração das empresas em caso de não cumprimento de partida. As viações entraram com uma contestação administrativa a este ponto que deve ser incluído no edital. Para o SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo, não é justo que as empresas paguem por problemas alheios à sua atuação, como os congestionamentos.
Outro problema grave em relação aos serviços e que aparece em segundo lugar no ranking geral de multas é o não cumprimento dos intervalos programados entre os ônibus, o que também tem relação com o trânsito e a falta de corredores de ônibus.
Confira os principais problemas que geram multas às empresas na cidade de São Paulo e a comparação entre o primeiro semestre deste ano e o de 2014:
– Descumprir número de partidas programadas para cada faixa horária: 21 mil 437 (primeiro semestre de 2015) – 12 mil 406 (primeiro semestre de 2014) – alta de 72,79%
– Descumprir o intervalo programado: 10 mil 369 (primeiro semestre de 2015) – 12 mil 362(primeiro semestre de 2014) – queda de 16,12%
– Motorista que dirige falando ao celular ou ao rádio: 3 mil 583 (primeiro semestre de 2015) – 3 mil 876 (primeiro semestre de 2014) – queda de 7,5%
– Descumprir partidas programas de veículos adaptados para pessoas com deficiência: 3 mil 067 (primeiro semestre de 2015) – 5 mil 078 (primeiro semestre de 2014) – queda de 39,6%
– Deixar de cumprir determinações ou prazos estabelecidos pela SPTrans: 2 mil 320 (primeiro semestre de 2015) – 3 mil 613 (primeiro semestre de 2014) – queda de 35,7%
– Ônibus sem comunicação visual ou com comunicação em desacordo com a linha: 2 mil 128 (primeiro semestre de 2015) – 1 mil 796 (primeiro semestre de 2014) – alta de 18,48%
– Conduzir de forma perigosa: 2 mil 112 (primeiro semestre de 2015) –2 mil 396 (primeiro semestre de 2014) – queda de 11,89%
– Veículo com defeito de iluminação externa ou interna, iluminação em mau estado ou mesmo inexistente: 1 mil 793 (primeiro semestre de 2015) – 1 mil 338 (primeiro semestre de 2014) – alta de 34%
– Ônibus trafegando com faróis baixos apagados: 1 mil 645 (primeiro semestre de 2015) – 1 mil 565 (primeiro semestre de 2014) – alta de 5,1%
– Ônibus sujos: 832 (primeiro semestre de 2015) – 1 mil 335 (primeiro semestre de 2014) – queda de 73,67%
– Outras penalidades somadas: 16 mil 569 (primeiro semestre de 2015) –21 mil 693 (primeiro semestre de 2014) – queda de 23,62%

Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas