quinta-feira, 17 de março de 2016

Máquinas de recarga do cartão BOM vão comercializar créditos do Bilhete Único.

Segundo Companhia do Metropolitano, ainda será realizada licitação para substituição de máquinas que deixaram de ser operadas pela Rede Ponto Certo

onibus
Cartão BOM, usado nos transportes metropolitanos
As máquinas de recarga do cartão BOM, hoje usado nos ônibus metropolitanos da Grande São Paulo, no metrô e nos trens da CPTM, devem servir para venda de créditos de Bilhete Único.
A informação é do Metrô de São Paulo, que afirmou que a Promobom Autopass S.A. , do consórcio das empresas de ônibus metropolitanos, responsável pelo Cartão BOM, está atualizando os equipamentos.
A medida é para minimizar os impactos ainda sentidos pelos passageiros devido ao fim das operações da Rede Ponto Certo, que era responsável pelas máquinas de recarga em um terço das estações do Metrô.
O contrato com a Autopass foi assinado nesta quarta-feira, como informa a SPTrans, em nota
“Iniciativa da SPTrans permite que o Bilhete Único e o BOM  possam ser carregados em uma mesma máquina. Serão beneficiados usuários de transporte coletivo em toda Região Metropolitana de São Paulo, incluindo os dos ônibus municipais de São Paulo,  dos ônibus intermunicipais, do Metrô e da CPTM.
A SPTrans finalizou o processo de credenciamento da Autopass, empresa de soluções e serviços em bilhetagem eletrônica, voltada para a mobilidade urbana como revendedora de créditos do Bilhete Único. A assinatura do contrato ocorreu nesta quarta-feira, dia 16 de março.
Com essa iniciativa, as máquinas de recarga atualmente dedicadas exclusivamente à venda de créditos do BOM passarão a carregar também os cartões do Bilhete Único. Esse compartilhamento agilizará o processo de venda de créditos.
A implantação dos novos equipamentos deverá ocorrer de forma gradativa e será concentrada inicialmente nas estações de Metrô, sendo uma contribuição efetiva para a solução dos problemas de fila no atendimento dos usuários do Bilhete Único.
O cronograma de implantação dos novos equipamentos será divulgado na próxima semana.
O acordo firmado entre SPTrans e Autopass integra esforços de todos os envolvidos na operação dos serviços de transporte na Região Metropolitana de São Paulo, no sentido de facilitar o acesso ao crédito eletrônico de transporte, colaborando com a redução do volume de dinheiro em circulação nos veículos e estações, em favor do menor tempo de viagem e maior segurança dos usuários.”
Desde o final de julho de 2015, alegando defasagem na remuneração, a Rede Ponto Certo começou a suspender o funcionamento das máquinas. Em dezembro de 2015, todos os equipamentos foram desligados pela Rede Ponto Certo, que teve o contrato rescindido pelo Metrô.
O Governo do Estado de São Paulo diz que até o final desse mês vai instalar 46 máquinas para compra e recarga e 67 terminais de consulta recarga de saldo, num total de 113 aparelhos, para substituir os equipamentos da Rede Ponto Certo .
Levantamento do jornal Folha de São Paulo mostra que o Metrô tem lucrando com desligamento dos aparelhos.
O número de bilhetes de papel vendidos teve crescimento de 16,5% em dezembro na comparação com novembro do ano passado, gerando arrecadação de R$ 36,6 milhões.
Em fevereiro de 2016, o número de bilhetes unitários vendidos subiu 15% em relação ao mesmo mês de 2015.
Financeiramente a vantagem para o metrô é que a companhia fica com a tarifa cheia de R$ 3,80 paga pelos passageiros.
No caso do Bilhete Único, explica o Metrô, há categorias temporais em que a tarifa é mais baixa e também o desconto da comissão das empresas que vendem os créditos que em média são de 2%.

Fonte: por: Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas