sexta-feira, 7 de outubro de 2016

MP abre investigação sobre supostas propinas na EMTU e no Metrô


Suspeitas foram levantadas após Polícia Federal, na Lava Jato, encontrar troca de e-mails envolvendo a Odebrechtnovos-onibus-da-bertioga-emtu
O Ministério Público de São Paulo, pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, abriu três linhas de investigação para apurar possível esquema de propina envolvendo a Odebrecht em contratos da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, que gerencia os ônibus metropolitanos no Estado de São Paulo, e as linhas 2-Verde e 4-Amarela do Metrô em um dos desdobramentos da Operação Lava-Jato.
A Polícia Federal aprendeu e-mails de executivos da Odebrecht, indicando pagamentos relacionados a obras e serviços da gerenciadora e da empresa do Estado de São Paulo.
Em relação ao Metrô, a Lava-Jato apreendeu em torno de 20 e-mails do setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, chamado de “departamento de propinas” pela força-tarefa, com citações a pagamentos nas obras das Linhas 2 e 4.
Já sobre a EMTU, a Polícia Federal teve acesso a e-mail de Benedicto Barbosa Júnior, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, enviado para o então presidente do grupo Odebrecht, Marcelo Bahia Odebrecht, pedindo autorização para o “programa de pagamentos relacionado à EMTU, em 2006”.
A promotoria investiga no âmbito civil as denúncias, sem o caráter criminal, o que deve continuar a cargo da Polícia Federal.
Ou seja, uma das linhas será se as supostas ações da EMTU e do Metrô com a Odebrecht prejudicaram a qualidade dos transportes e o erário público.
A Secretaria de Transportes Metropolitanos de São Paulo disse que o Metrô e EMTU desconhecem qualquer irregularidade, mas que estão à disposição para colaborar com as investigações.
Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista, especializado em transporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sugestão, Reclamações, Elogios, Comentários e Perguntas