sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Governo do Estado de São Paulo abre licitação para ônibus da EMTU/SP

Prazo de concessão será de 15 anos e serão consideradas vencedoras as propostas com menor tarifa

Prevista para ser realizada entre dezembro do ano passado e janeiro deste ano, a licitação dos ônibus intermunicipais em São Paulo da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos deve, finalmente, sair do papel.
área 1 Cotia
Nesta sexta-feira, 15 de setembro de 2017, o governador  publicou a autorização de abertura do processo licitatório.
De acordo com a publicação oficial, o tempo de contrato com as empresas de ônibus será de 15 anos. Serão consideradas vencedoras as propostas que oferecerem o maior desconto em relação à tarifa de remuneração, que será estipulada nos editais. Ou seja, a menor tarifa.
A licitação, além de contemplar a operação dos ônibus, também levará em conta manutenção e operação de infraestrutura, como terminais, investimentos em expansão de linhas e também a bilhetagem eletrônica na região metropolitana, que hoje é de responsabilidade da Autopass, que gerencia o Cartão BOM.
O modelo de divisão de lotes operacionais continua.
área 2 Osasco 
O sistema é dividido em cinco áreas operacionais, das quais apenas quatro foram licitadas em 2006, cujos contratos venceram em 2016 e tinham sido prorrogados para este ano. Na área 5, correspondente ao ABC Paulista, os empresários, alegando pressão de custos operacionais da região, esvaziaram o certame. Na região, também há um processo de recuperação fiscal das empresas de Baltazar José de Sousa que impediu as licitações anteriores. Assim, as empresas metropolitanas do ABC ainda operam em regime de permissão precária.
A frota de ônibus do sistema EMTU no ABC é uma das mais velhas do Estado, com idade média próxima de 9 anos. As reclamações sobre a falta de qualidade nos serviços no ABC são maiores do que de todas as outras áreas somadas
Ainda de acordo com o decreto 62.821 de 14 de setembro de 2017. assinado pelo governador Geraldo Alckmin, poderão participar da licitação, consórcios ou empresas coligadas em Sociedade de Propósitos Específicos – SPE.
Empresas internacionais também poderão participar da disputa para atenderem os serviços de ônibus intermunicipais.
Os editais também vão prever a possibilidade de arrecadação de receitas extra tarifárias, como com exploração dos terminais e publicidade. Para estas receitas, as empresas de ônibus poderão contratar prestadores de serviços.
Os editais em detalhe ainda serão publicados.

Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista, especializado em transporte 

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

EMTU:Linhas metropolitanas serão integradas no terminal Butantã a partir de 16 de setembro 2017


A medida visa melhorar a fluidez do transporte metropolitano, além de propiciar economia no pagamento da tarifa para 36% dos passageiros

A partir de 16 de setembro quatro linhas que ligam Embu das Artes e Taboão da Serra ao Hospital das Clínicas, em São Paulo, passarão a ter ponto final no terminal Butantã, do Metrô. A medida tem a finalidade de melhorar o fluxo dos ônibus das linhas metropolitanas e as condições de trânsito nas regiões de Pinheiros e Clínicas, por onde passarão a circular 8 em vez de 30 ônibus por hora, como ocorre hoje em relação a esses serviços. 

Além disso, três dessas linhas terão redução na tarifa, beneficiando aproximadamente 36% do total de 22 mil passageiros que fazem diariamente esse itinerário. Cabe salientar que a maioria dos passageiros desembarca antes do terminal Butantã.

Os passageiros que têm como destino o trecho até o Hospital das Clínicas poderão fazer baldeação para a nova linha Circular Metropolitana 576 no terminal Butantã, pagando o mesmo valor de hoje. Esse serviço será operado com dez ônibus e intervalos médios de cinco minutos nos horários de pico. 

Para garantir o embarque na Circular 576 o usuário deve ter o cartão BOM. Um posto de atendimento criado para atender especialmente aos usuários das linhas funcionará de segunda a sexta-feira na rua Pedro Cristi, 36, das 6h às 12h e das 14h às 20h, a partir da próxima sexta-feira, 1º de setembro. Os passageiros também podem obter o BOM nas lojas e quiosques da Autopass que podem ser consultados no endereço www.cartaobom.net.

As alterações também serão comunicadas aos usuários a partir desta quarta-feira (30) por meio das redes sociais da EMTU, de cartazes afixados nos ônibus e pontos das linhas e de folhetos a serem distribuídos ao público.

Linhas integradas no terminal Butantã e tarifas 

033 Embu das Artes (Engenho Velho)/ São Paulo (Metrô Butantã): tarifa de R$ 4,85 será mantida 
089 Taboão da Serra (Jardim São Judas Tadeu)/ São Paulo (Metrô Butantã): a tarifa será reduzida de R$ 4,85 para R$ 4,75, ou seja 2,1% de economia para o passageiro
124 Embu das Artes (Jardim Santo Eduardo)/ São Paulo (Metrô Butantã): a tarifa será reduzida de R$ 5,30 para R$ 4,75, portanto, 10,4% mais barata
191 Taboão da Serra (Parque Pinheiros)/ São Paulo (Metrô Butantã): a tarifa será reduzida de R$ 4,75 para R$ 4,35, economia de 8,4% 


Itinerário da linha circular 576 Terminal Butantã/Clínicas
Terminal Metrô Butantã
Rua M.M.D.C.
Rua Camargo
Avenida Doutor Vital Brasil
Praça Jorge De Lima
Ponte Bernardo Goldfarb
Rua Butantã
Rua Teodoro Sampaio
Avenida Doutor Arnaldo
Rua Cardeal Arcoverde
Rua Baltazar Carrasco
Rua Chopin Tavares De Lima
Rua Fernão Dias
Rua Berel Aizenstein
Rua Cardeal Arcoverde
Avenida Eusébio Matoso
Ponte Eusébio Matoso
Avenida Eusébio Matoso
Praça Jorge de Lima
Avenida Professor Francisco Morato
Rua M.M.D.C.
Rua Camargo
Terminal Metrô Butantã

Regras de integração com a linha 576

Integração da linha 033 com a linha 576

Tarifa integrada: R$ 4,85 com o cartão BOM 

No sentido capital, o usuário embarca na linha 033 e paga a tarifa de R$ 4,85 com o cartão BOM. Para prosseguir em direção ao Hospital das Clínicas, embarca na linha 576 no Terminal Butantã, sem qualquer desembolso.

Nos sentido Embu das Artes, o passageiro embarca na linha 576 e paga tarifa de R$ 4,75 com o cartão BOM. Ao embarcar na linha 033, no Terminal Butantã, será debitado no cartão o valor de R$ 0,10 referente à diferença em relação à tarifa integrada que é de R$ 4,85. 

Integração da linha 089 com a linha 576

Tarifa integrada: R$ 4,85 com o cartão BOM
No sentido capital, o usuário embarca na linha 089 e paga a nova tarifa de R$ 4,75 com o cartão BOM. Para prosseguir em direção ao Hospital das Clínicas, embarca na linha 576, no Terminal Butantã, onde será debitado no cartão o valor de R$ 0,10 referente à diferença em relação à tarifa integrada que é de R$ 4,85. 

No sentido Taboão da Serra, o cidadão embarca na linha 576 e paga tarifa de R$ 4,75 com o cartão BOM. Ao embarcar na linha 089, no Terminal Butantã, será debitado no cartão o valor de R$ 0,10 referente à diferença em relação à tarifa integrada que é de R$ 4,85.

Integração da linha 124 com a linha 576

Tarifa integrada: R$ 5,30 com o cartão BOM

No sentido capital, o usuário embarca na linha 124 e paga a nova tarifa de R$ 4,75 com o cartão BOM. Para prosseguir em direção ao Hospital das Clínicas, embarca na linha 576, no Terminal Butantã, onde será debitado no cartão o valor de R$ 0,55 referente à diferença em relação à tarifa integrada que é de R$ 5,30. 

No sentido Embu das Artes, o passageiro embarca na linha 576 e paga tarifa de R$ 4,75 com o cartão BOM. Ao embarcar na linha 124, no Terminal Butantã, será debitado no cartão o valor de R$ 0,55 referente à diferença em relação à tarifa integrada que é de R$ 5,30. 

Integração da linha 191 com a linha 576 

Tarifa integrada: R$ 4,75 com o cartão BOM

No sentido capital, o cidadão embarca na linha 191 e paga a nova tarifa de R$ 4,35 com o cartão BOM. Para prosseguir em direção ao Hospital das Clínicas, embarca na linha 576, no Terminal Butantã, onde será debitado no cartão o valor de R$ 0,40 referente à diferença em relação à tarifa integrada que é de R$ 4,75. 

No sentido Taboão da Serra, o passageiro embarca na linha 576 e paga tarifa de R$ 4,75 com o cartão BOM e embarca na linha 191, no Terminal Butantã, sem qualquer desembolso. 

Fonte: EMTU

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Atenção Prefeitura Itapevi: interdita vias do Centro para retirada da passarela da CPTM

Desativada há anos, a passarela da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), no Centro, será demolida entre os dias 7 e 10 de setembro. Com a iniciativa, a Prefeitura interditará o trecho viário entre a Avenida Feres Nacif Chaluppe, na rotatória da Cohab, e o Terminal de Ônibus no Centro.

Passarela e escadas da CPTM no centro Itapevi serão demolidas

Equipamento será demolido entre os dias 7 e 10 de setembro

A interdição começará às 22h da próxima quarta-feira (6) e terminará no domingo (10), às 18h. A estação de trem funcionará normalmente ao longo de todo a remoção. Na terça-feira (5), será retirada a escada da face norte de acesso à estação, sem necessidade de bloqueio.

O objetivo da remoção do equipamento é embelezar a região central e aumentar a segurança da população. A ação integra o programa municipal Cidade Bela, que irá revitalizar Itapevi com uma série de intervenções urbanísticas.

As conversas para a retirada do equipamento foram iniciadas em dezembro de 2016 pelo então prefeito eleito Igor Soares. “Já iniciamos estudos para a construção de uma nova passarela", disse o prefeito. "A passarela desativada não possui condições estruturais para atender o fluxo diário de pessoas que embarcam e desembarcam na estação”, afirmou.
A passarela e suas escadas de acesso serviam à Estação Itapevi de trem. Desde sua desativação, tem sido utilizada como ponto de tráfico de drogas e outros ilícitos, gerando insegurança na região.

“O projeto para a implantação em novo espaço de uma nova e moderna passarela está em andamento. As melhorias ainda englobam reconfiguração da Praça Carlos de Castro e a região da Rua Joaquim Nunes”, disse o secretário de Planejamento, Marcos Toledo.

Rotas Alternativas

De acordo com o Demutran (Departamento Municipal de Trânsito), deverão ser colocadas entre esta segunda (4) e quarta-feira (6), faixas de orientação na região central e sinalização de desvios auxiliando motoristas e pedestres sobre as mudanças no local de obras.

O motorista que vem da Rodovia Castelo Branco e precisa acessar os municípios de São Roque e Cotia por Itapevi deverá passar pela Rodovia PM Coronel Nelson Tranchesi (Estrada da Roselândia), seguir na Avenida Presidente Vargas e virar no primeiro semáforo à direita (na altura do CEI). Em seguida, utilizará a Avenida Leda Pantalena, chegando ao Jardim Portela, de onde seguirá até a Rodovia Engenheiro Renê Benedito da Silva.

De lá, entrando à direita, o motorista chegará aos bairros Santa Rita, Vila Gióia, Amador Bueno, Ambuitá e os bairros do município de São Roque (São João Novo e São João Velho). À esquerda, será possível acessar o Jardim Paulista (Cohab), Parque Suburbano, Jardim Rosemary e a cidade de Cotia.

Já o motorista que vem de Cotia pela Estrada da Roselândia deverá entrar na Avenida Rubens Caramez, acessar a rotatória da Cohab (onde a passagem para veículos estará liberada), segui rumo à Rodovia Renê Benedito da Silva e entrar à direita na passagem de nível (linha férrea). Na sequência, pegará a Avenida Leda Pantalena à direita, acessando o Jardim Portela, que dará acesso às vias para a Rua Professor Dimarães Antônio Sandei, na Cidade Saúde, até retornar à Estrada da Roselândia.

Quem vem de Jandira pela Avenida Carolina de Abreu Paulino ou pela Rua Cesário de Abreu acessa normalmente a Ponte José dos Santos Novaes, no Centro.
No acesso de Jandira sentido Cotia, o motorista deverá entrar pela Avenida Rubens Caramez, subir a Rua Joaquim Nunes (Paço Municipal) até chegar à Praça dos Irmãos, na Vila Autora (Cristo Redentor). De lá, o motorista deve descer à direita na Rua Francisco Corrêa, seguir obrigatoriamente à direita na Estrada da Roselândia e pegar o primeiro retorno à esquerda (próximo à Escola Estadual Marechal Cândido Rondon), no sentido Cotia.

Fonte: PMI

Prefeitura inicia obras de calçamento na Estrada da Roselândia Cotia / Itapevi

Na última quinta-feira (24), a Prefeitura de Itapevi iniciou as obras de calçamento na Estrada da Roselândia, ao lado do córrego Paim. As intervenções integram o programa Cidade bela, e serão realizadas no trecho de aproximadamente um quilômetro entre as ruas dos Americanos e Ana Maria Vaz, no Parque Suburbano. 


Parque Suburbano ganha nova calçada para melhorar segurança da população

Melhorias serão concluídas em um prazo de até 30 dias   

Cerca de 20 trabalhadores já estão atuando no canteiro da obra, que será paga com recursos do orçamento municipal. Os trabalhos de concretagem e pavimentação da calçada devem ser finalizados em até 30 dias. 

“O benefício desta obra é garantir mais segurança aos pedestres que se deslocam do Parque Suburbano ao Centro da cidade. É um pedido antigo da população e que conseguimos atender nesta gestão”, explicou Ramon Almada Medrano, secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos do município.

No local, também estão sendo realizados os serviços de zeladoria e manutenção urbana, como roçagem e capinação da área onde haverá a nova calçada. 

“Moro há 10 anos no bairro e nada havia sido feito para dar segurança", disse José Paulo Chagas, 35, eletricista e morador do Parque Suburbano. "Vejo que as obras, além de serem bem-feitas, também melhoram o aspecto visual na região”, afirmou. 

A doméstica Inês Maria da Silva, 60, também moradora do Parque Suburbano, disse estar empolgada com a melhoria. “Já estamos pedindo esta obra há algum tempo. Nossa segurança está em jogo e a Prefeitura está de parabéns por realizar as obras com qualidade”, afirmou. 

O que é o Cidade Bela?

O programa contempla uma série de ações para recuperar a região central de Itapevi e ampliar os serviços de manutenção e zeladoria em todos os bairros do município – em sua versão local, o programa recebe o nome de Cidade  Bela No Seu Bairro.

Além de revitalizar os espaços públicos do município, o Cidade Bela contempla a renovação da frota atual de coleta de lixo, acréscimo de modernos equipamentos para ajudar e colaborar na limpeza da cidade, entrega de novos uniformes e novo sistema de coleta por meio de contêineres. O objetivo é deixar o município mais bonito, resgatando a autoestima dos itapevienses pela sua cidade.

Para isso, a Prefeitura também realizará uma série de intervenções urbanísticas, com ações de paisagismo e recuperação de praças e canteiros centrais, reforçando a poda de árvores, a retirada de pichações e a limpeza de vias públicas.

Também estão previstas obras para readequar o trânsito em pontos estratégicos da cidade, com a implantação de semáforos inteligentes e o reparo de sinalizações. Haverá também obras de acessibilidade e a instalação de novos pontos de ônibus.

Fonte: PMI

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

COTIA: Empresa de ônibus não cumpre lei que proíbe dupla função de motoristas

A discussão é antiga, porém sempre atual. A retirada dos cobradores nos ônibus da cidade de Cotia, na grande São Paulo. Para economizar a empresa Intervias Viação Raposo Tavares(antiga Danubio Azul) retirou todos os cobradores das linhas municipais e também das linhas intermunicipais que a empresa opera.


Na sessão dos vereadores desta terça-feira (29), o presidente do PTB, Welington Formigaentregou um pedido aos vereadores para que se unam a campanha pela volta dos cobradores, segundo ele a dupla função do motorista aumenta o risco de acidentes "O motorista além de dirigir, tem que cobrar e ainda liberar a catraca, a atenção dividida aumenta as chances de acidentes" disse.
Welington Formiga entrega pedido aos vereadores. ( Wilson Desidério- Cobrador,  Eduardo Nascimento - Vereador, Welington Formiga - PTB Cotia)
Além do pedido aos vereadores, Formiga apresentou a cópia da lei número 1.237/2003 que proíbe que as empresas do serviço municipal utilizem a dupla função (lei completa abaixo) a lei ainda prevê multa e até a revogação do contrato.


Durante a sessão ordinária os 13 vereadores se comprometeram a fiscalizar a empresa e cobrar para que seja cumprido a lei. Vale ressaltar que a lei é descumprida pela empresa a pelo menos 3 anos

Veja também 

DUPLA - FUNÇÃO MOTORISTA COBRADOR NÃAOOOOO - EMTU E MUNICIPAIS

Veja o que diz a Lei em respeito da falta de Cobradores em Cotia, empresa Ignora a lei a anos, Mas cadê as integrações municipais?.



Fonte: Cotia e Cia - Parceiro

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

CONSUMIDOR: Saiba como ser ressarcido por danos causados por queda de energia

Se sua TV, geladeira, micro-ondas, computador ou outro produto queimar após uma 
queda brusca de energia, é possível solicitar que a concessionária de energia 
providencie o reparo. Fique atento a seus direitos com a ajuda da PROTESTE!
maqlavar-estragada2
É comum deixarmos os aparelhos eletroeletrônicos sempre ligados na tomada em casa,
 mesmo quando não estão em uso. Porém, é preciso tomar cuidado, pois uma oscilação
 na rede elétrica ou queda de energia pode fazer com que alguns desses aparelhos 
parem de funcionar.

Nesses casos, você não está desamparado. A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL)
 determina que a concessionária de energia elétrica é responsável pelos danos causados 
pela variação na rede.

O reparo pelo dano elétrico pode ocorrer por meio de três alternativas:
 O conserto do produto avariado;
 A substituição por um item equivalente;
 O pagamento do conserto ou o ressarcimento do total do valor do aparelho.

Para solicitar a reparação, o ideal é que você entre em contato com a concessionária de
energia o mais rápido possível, contudo o pedido pode ser feito em até 90 dias após a provável data 
do dano elétrico. É muito importante anotar e guardar os protocolos. 

 Descubra qual é o prazo para corte de energia e faça valer os seus direitos 

A distribuidora pode fazer a avaliação do produto na sua residência ou solicitar que seja encaminhado
à autorizada mais próxima no prazo máximo de 10 dias. Esse prazo cai para um dia útil quando o produto 
armazena alimentos perecíveis ou medicamentos (freezer, geladeira, etc.). Após a verificação,
 o prazo para resposta da empresa é de 15 dias.

Caso o resultado do pedido seja negado, deve ser explicado o motivo, que estará previsto em uma
 das hipóteses da regulamentação da ANEEL.

Se surgir alguma dificuldade para a solução do problema, registre sua reclamação em nosso canal
 Reclame ou ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204

Com a PROTESTE é muito mais fácil exigir seus direitos! 

Fonte: PROTESTE

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

EMTU: ABC reúne quase todas as multa,que operam Dupla-Função na Grande São Paulo


ABC reúne quase todas as multas da EMTU contra empresas que operam sem cobrador na Grande São Paulo


Presença de cobradores é obrigatória pelo decreto estadual nº 24.675/86, no caso das empresas permissionárias, e os contratos de concessão, no caso dos consórcios que operam na Grande São Paulo.
De 1288 infrações registradas nos 39 municípios, 1072 foram em uma das sete cidades da região. Números poderiam ser até maiores, mas quatro empresas não podem ser multadas por decisões judiciais
A cena tem sido comum: ônibus convencionais e até mesmo articulados do sistema da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos circulando sem cobradores.
Pelo número de veículos sem os profissionais, dá até a impressão de que a prática é permitida. Mas, não é.
Após verificar em várias edições do Diário Oficial do Estado de São Paulo diversas relações de empresas autuadas por circularem sem cobrador, o Diário do Transporte solicitou à EMTU o balanço das multas contra estas viações.
Segundo a gerenciadora do governo do Estado de São Paulo, entre 01º de janeiro e 31 de julho deste ano foram 1288 multas por ausência de cobradores nos ônibus. No mesmo período do ano passado, a EMTU aplicou 1447 multas por este motivo. Assim, entre os períodos dos dois anos, a queda foi de 12,34%
O ABC Paulista, que é a Área 5 da EMTU, reúne 80% dos registros. Das 1288 multas aplicadas por ônibus que deveriam ter o cobrador e não tinham, 1072 foram sobre as empresas da região.
O número poderia ser maior ainda se não fosse o fato de quatro empresas operarem sem cobradores baseadas em liminares judiciais: Mobibrasil, Publix, Tucuruvi e Vipe.
A área operacional que a EMTU registou menos ocorrências de desobediência à regra de operação com cobrador, prevista em contrato, foi a 2, correspondente à Osasco e região, com três autuações entre 1º de janeiro e 31 de julho.
O maior crescimento deste tipo de infração foi na Área 3, de Guarulhos e região. Entre 1º de janeiro e 31 de julho de 2016 foram 48 autuações e, neste ano, no mesmo período, o número subiu para 131.
Na Área 4, correspondente a Mogi das Cruzes e Região, houve a maior queda no número de multas na comparação entre 1º de janeiro e 31 de julho de 2016 e o mesmo período de 2017: de 189 infrações para 16.
O valor da multa em caso de operação sem cobrador é de R$ 208,49 e, em caso de reincidência, o valor é aplicado mais uma vez.
Em resposta aos questionamentos do Diário do Transporte, a EMTU, em nota, ainda explicou que na Área 1, somente os ônibus das  linhas com integração nos terminais metroviários de Capão Redondo e Campo Limpo no pico da tarde, onde a cobrança é realizada fora dos veículos, há autorização para os coletivos circularem sem cobradores.
 A aplicação de multa por ausência de cobrador segue o decreto estadual nº 24.675/86, no caso das empresas permissionárias, e os contratos de concessão, no caso dos consórcios que operam na Grande São Paulo.
– Na área 5 (ABC), aplica-se multa por ausência de cobrador nas linhas operadas pelas empresas ABC, EAOSA, Expresso São Bernardo, Parque das Nações, Riacho Grande, Ribeirão Pires, Rigras, São Camilo, Transbus, Triângulo e Urbana. As empresas Mobibrasil, Publix, Tucuruvi e Vipe não são autuadas pela ausência do cobrador devido a ação judicial que suspendeu a aplicação da penalidade.
Nas linhas 238 e 409, operadas pela Auto Viação ABC, somente neste ano, até o fim de julho, foram aplicadas 174 multas pela ausência de cobrador.
 – Na área 1 (Itapecerica da Serra e região), operada pelo consórcio Intervias, são passíveis de autuação todos os veículos das linhas regulares, exceto nas linhas com integração nos terminais metroviários de Capão Redondo e Campo Limpo no pico da tarde, onde a cobrança é realizada no pré-embarque.
 – Nas áreas 2 e 4 (regiões de Osasco e Mogi das Cruzes), operadas, respectivamente, pelos consórcios Anhanguera e Unileste, são passíveis de autuação todos os veículos das linhas comuns.
 – Na área 3 (região de Guarulhos), de atuação do consórcio Internorte, podem ser multados todos os veículos das linhas regulares, exceto os veículos tipo midiônibus já que no edital de concessão foi permitido que veículos com essa tecnologia e equipados com o sistema de bilhetagem eletrônica operassem sem o cobrador de passagem.
LICITAÇÃO AINDA SEM DATA:
Ainda não há uma data definida para que a EMTU conclua a licitação dos transportes coletivos na Grande São Paulo. Os contratos das áreas 1, 2, 3 e 4 foram assinados em 2006, com validade de 10 anos, e estão no prazo de prorrogação.
Já as empresas de ônibus do ABC Paulista, correspondente à área 5, não participaram da licitação em 2006 e operam com permissões precárias na região.
Desde 2006, a EMTU tentou por seis vezes, sem sucesso, realizar a licitação. Em cinco vezes, os empresários esvaziaram certame, alegando altos custos operacionais e, em uma delas, o empresário Baltazar José de Sousa, cujas companhias estão em recuperação judicial, conseguiu bloquear o certame por meio de uma decisão a justiça de Manaus, por onde corre o processo de uma de suas empresas.
Em nota, a EMTU afirmou que analisa as mais de 600 sugestões que recebeu na audiência pública, realizada em setembro do ano passado, e que o edital será lançado em breve:
O novo processo de licitação das linhas intermunicipais da RMSP está sendo conduzido pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos por meio da Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões de Serviços Públicos dos sistemas de Transportes delegados à iniciativa privada (CMCP) e envolve todas as áreas de operação, inclusive a área 5 (municípios do ABC). O processo licitatório teve início em setembro de 2016 com a realização de audiência pública. A consulta pública das minutas do edital, anexos e contrato para a concessão foi aberta em 23 de dezembro do ano passado e encerrada em 3 de março deste ano, recebendo mais de 600 contribuições, sugestões e questionamentos que estão sendo avaliados individualmente. Essa possibilidade de conhecer o edital antes de sua publicação propicia mais transparência ao processo licitatório. O edital está previsto para ser publicado em breve.
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Meus Comentários: 
Como estamos vendo em todas as áreas da EMTU/SP as empresas que operam o transportes coletivos estão desobedecendo o decreto estadual nº 24.675/86, na desordenação dos serviços prestados com qualidade e eficiência.
Infelizmente a EMTU/SP orgão do GovernoSP, deixa as desordem acontecerem nas áreas 1,2,3,4 e 5, não dando em conta que as falhas nas Fiscalizações e uma Instituição mais rigorosa compromete toda a qualidade dos serviços de transportes metropolitanos de todas as regiões....
Em COTIA a EMTU está perdendo sua pouca Autoridade, pois vemos acontecer a mais audaciosa das desordenação, no transporte intermunicipais , pois a empresa Consórcio Intervias Raposo Tavares, vendo a falta de gestão da EMTU retirou todos os Cobradores das linhas que opera na área 1,e esbravejando com a EMTU ainda descumpre horários e causa superlotações em diversas linhas. O que faz a EMTU ?. Resposta Nada, apenas observa sua perca de poder gestora do transporte intermunicipais. E cadê a STM ( Secretaria de Transporte Metropolitanos) está de mão atadas diante da Ineficiência da EMTU e o GovernoSP que não toma nenhuma providências nas melhorias dos transporte coletivos intermunicipais. 
Nem GovernoSP, Nem EMTU, e Nem STM , dalé , dalé, Consórcios, que por sua vez ganhou o direito de mandar em suas Gestoras....

Comentado por: Carlinhos Aniceto 
Fonte: ,por: Adamo Bazani, jornalista, especializado em transporte