sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Horário de verão termina neste domingo 17/02; atrase o relógio em uma hora

Para muitos, o fim do horário de verão é ruim; para outros, um alívio. Bom, a verdade é que a medida adotada pelo governo com a justificativa de economizar energia entre 18h e 21h, e em vigor desde outubro de 2018, chega ao fim na virada deste sábado para domingo.
Por isso, devemos atrasar os relógios em uma hora, a partir da meia noite deste domingo.
Além do Distrito Federal, 10 estados precisarão adaptar seus ponteiros: Minas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo. A população do Norte e do Nordeste não é afetada porque os estados da região não são incluídos no horário de verão.
Segundo balanço do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em 2013 o Brasil, com essa providência, economizou R$ 405 milhões, ou 2.565 megawatts (MW). No ano seguinte, essa economia baixou para R$ 278 milhões (2.035 MW) e, em 2015 caiu ainda mais, para R$ 162 milhões. Em 2016, o valor sofreu nova queda, para R$ 147,5 milhões.
Essa menor influência observada pode ser explicada pelo fato de parcelas significativas das zonas sujeitas à medida têm intensificado o uso de equipamentos como o ar condicionado, como forma de aplacar o calor, elevando a demanda pela energia elétrica. Ainda que já dispensem as lâmpadas incandescentes, substituindo-as por modelos mais econômicos.
No final do ano passado, o governo federal sinalizou para a possibilidade de abolir o horário de verão, por não haver consenso quanto à relação com a economia de energia elétrica. Apesar disso, acabou apenas abreviando o período 2018/2019 em duas semanas, a pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para facilitar a apuração dos votos das eleições. Com isso, o horário de verão de 2018 passará a ser adotado no primeiro domingo de novembro.
“A avaliação dos atuais impactos na redução do consumo e da demanda de energia elétrica, contida nos estudos realizados neste ano de 2017 pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) em conjunto com o Ministério de Minas e Energia (MME), mostra que a adoção do horário de verão traz atualmente resultados próximos da neutralidade para o sistema elétrico”, escreveu o ministério em nota, em outubro do ano passado.
Fonte:  Agência Brasil

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

EMTU: Corredor de ônibus Cotia-Itapevi nem saiu do papel,prometido para 2015.

Em 2013 a EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos anunciou a construção de um corredor de ônibus ligando Cotia a Itapevi, pela Estrada da Roselândia, em um projeto que faria a integração com outro corredor, entre São Paulo e Itapevi, formando um trajeto entre várias cidades e com o objetivo de encurtar as viagens do transporte público.
A obra também facilitaria o acesso dos cotianos às estações de trem da região e Capital. Na época, como mostrou o Jornal Cotia Agora, a EMTU afirmou que o início das obras seria em 2014 e com previsão de término em 2015.
Passados seis anos desde o lançamento do projeto, nada saiu do papel e a obra que facilitaria a vida de usuários do transporte caiu no esquecimento. O outro corredor, entre Itapevi e Capital já teve a maioria das obras entregues, apesar de terem sido interrompidas diversas vezes.
O Corredor Metropolitano Itapevi-Cotia ligaria os dois municípios pela Estrada da Roselândia, a partir do Terminal Metropolitano de Cotia até o Terminal Engenheiro Cardoso, fazendo conexão com o Corredor Metropolitano Itapevi-São Paulo e também com a linha 8 Diamante da CPTM em Itapevi. No projeto, a ligação entre Cotia e Itapevi teria 9,4 quilômetros de extensão, com investimento (à época) de R$ 160 milhões e previsão de atendimento de 68 mil passageiros dias.
O Governo do Estado não comenta mais sobre o assunto. O Jornal Cotia Agora entrou em contato com a EMTU que informou que todos os projetos para o transporte intermunicipal nas Regiões Metropolitanas de São Paulo estão sendo reavaliados pela direção da empresa.
No site da EMTU o projeto ainda consta da mesma forma quando foi publicado em 2013 e nem os prazos foram corrigidos ou retirados do ar.
Publicação da EMTU e no quadro vermelho as datas não cumpridas pelo Governo do Estado
Fonte: AgoraCotia

sábado, 2 de fevereiro de 2019

Licitação dos ônibus em São Paulo: Prefeitura marca abertura dos envelopes para fevereiro

Licitação dos ônibus em São Paulo: Prefeitura marca abertura dos envelopes com as propostas para o dia 05 de fevereiro

A desembargadora Flora Maria Nesi Tossi Silva, da 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, não viu ilegalidades nos editais

A prefeitura de São Paulo informou agora há pouco, em nota, que a abertura dos envelopes para a licitação do sistema de ônibus da cidade será na próxima terça-feira, 05 de fevereiro de 2019.
Segundo a gestão Bruno Covas, somente com a licitação será possível reformular os serviços de transportes na capital.
Como informou o Diário do Transporte em primeira mão na tarde desta sexta, 01º de fevereiro de 2019, a desembargadora Flora Maria Nesi Tossi Silva, da 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, atendeu recurso da PGM – Procuradoria Geral do Município e liberou a retomada da concorrência.
Flora entendeu que a questão da posse e desapropriação dos imóveis para garagens, como preveem os três editais, não configura prejuízo à concorrência e não é moivo, assim, para barrar a licitação.
Em primeiro lugar, e em princípio, entendo que a desapropriação indicada nas cláusulas 3.9 e seguintes dos editais de concorrência não obrigam os licitantes a promoveram a expropriação dos imóveis que foram declarados de utilidade pública por decretos municipais, tratando-se assim, de mera faculdade. E, ao que parece, tal se dá a fim de prestigiar justamente o princípio da isonomia, uma vez que as empresas-licitantes que não disponham de imóvel para garagem e apoio, poderão, se quiserem, valer-se dos decretos de utilidade pública para tanto, para promoverem a desapropriação dos imóveis, pagando aos proprietários dos imóveis os valores relativos à justa indenização. Por outro lado, em princípio, nada impede que a empresa licitante compre ou alugue um imóvel para guarda e manutenção da sua frota.
A desembargadora também não viu ilegalidade no item de irreversibilidade dos bens, como apontava as alegações do empresário que atuou na cidade de São Paulo, Romero Teixeira Niquini.
Por sua vez, no que se refere à irreversibilidade dos bens desapropriados ao patrimônio do Município, não vislumbro, num primeiro momento, qualquer ilegalidade, pois tal previsão é expressa no art. 17, inciso I e §4º, inciso II da Lei nº 13.241/2001, não havendo informação de que referido artigo tenha sido revogado ou declarado inconstitucional, sendo que não vislumbro, em princípio, ilegalidade ou inconstitucionalidade nestes dispositivos legais.
A magistrada, depois de analisar que outros pontos contestados dos editais não apresentam ilegalidade, determinou o restabelecimento da concorrência.
Em razão de todo o exposto, concedo o efeito ativo ao presente recurso, determinando a imediata redistribuição do processo de origem (processo n. 1002008-07.2019.8.26.0053) para a 15a. Vara da Fazenda Pública da Capital, por dependência ao processo n. 1002246-26.2019.8.26.0053 (autor: Juarez Donisete de Oliveira), bem como para determinar o imediato restabelecimento do curso do processo licitatório objeto de discussão nos autos, ao menos até o reexame do tema por esta Relatora ou C. Câmara.
Em nota, a prefeitura de São Paulo diz que a licitação vai trazer segurança jurídica e melhorias ao sistema de transportes
A conclusão do processo licitatório permitirá a reorganização do sistema de transporte por ônibus na capital e trará benefícios aos passageiros ao eliminar a sobreposição de linhas, reduzir intervalos entre os veículos, tornar as viagens mais rápidas e confortáveis, além de conferir maior confiabilidade ao sistema e permitir a modernização da frota. O edital prevê uma série de melhorias obrigatórias no sistema, como a chegada de ônibus mais modernos, com ar-condicionado, Wi-Fi, entrada USB e também motores menos poluentes.
A contratação por edital traz segurança jurídica à rede municipal de transporte que, atualmente, opera por meio de contratos emergenciais.
Veja a informação completa em:  Diário do Transporte

Fonte: Diariodotransporte por:Adamo Bazani jornalista especializado em transportes

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Rodovia Raposo Tavares, poderá ter novo terminal de ônibus em 2022

Prefeitura de SP apresenta estudo de viabilidade ambiental de novo terminal de ônibus na Raposo Tavares

Haverá uma nova linha ligando o Terminal de Cotia ao novo do Km 18,5. Estrutura é compensação de construtora para megacondomínio que é alvo de disputa entre a capital paulista e Osasco. Por causa do empreendimento e do terminal, a rodovia Raposo Tavares até o km 18,5 vai receber um corredor exclusivo para ônibus.
A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente da cidade de São Paulo disponibilizou o EVA – Estudo de Viabilidade Ambiental para a construção do Terminal de Ônibus Reserva Raposo.
A estrutura, prevista para ser localizada no km 18,5 da Raposo Tavares, é uma compensação exigida pela prefeitura de São Paulo do Grupo Rezek, responsável pela construção do megacondomínio Reserva Raposo, um bairro planejado, que ocupa uma área de 450 mil metros quadrados (450.505 metros quadrados) e deve ter 119 prédios que vão abrigar mais de 60 mil pessoas. O empreendimento, para pessoas de baixa renda, deve ser entregue entre 2021 e 2022.
Com a disponibilização do estudo, a prefeitura quer agilizar o processo de licença ambiental para o terminal de ônibus. Para isso, abriu um prazo de 45 dias para consulta e realização de audiência pública.
“O referido EVA está à disposição dos interessados para consulta e solicitação de audiência pública pelo prazo de 45 dias”
A estimativa é que 55% dos mais de 60 mil moradores do megacondomínio usarão ônibus.
Inicialmente, o prazo previsto para começar as obras do terminal era dezembro de 2018 com conclusão em dezembro de 2020. Mas problemas jurídicos e atrasos na finalização dos primeiros levantamentos para o estudo já derrubaram este cronograma.
O terminal vai ocupar uma área de 18,6 mil metros quadrados (18.659,80 metros quadrados) e o local onde vai ser instalado foi decretado como espaço de utilidade pública, passando pertencer assim ao município. A área útil será de 13,9 mil metros quadrados.
O espaço terá cinco plataformas, cada uma com largura que varia de seis a dez metros e comprimentos variando de 115 a 152 metros.
Por causa do empreendimento e do terminal, a Raposo Tavares até o km 18,5 vai receber um corredor exclusivo para ônibus.
Segundo o estudo, pelo espaço vão circular micro-ônibus e micrões que vão levar os moradores até o terminal, de onde sairão linhas com ônibus maiores para o Metrô Butantã ou Terminal São Paulo-Morumbi da Linha 4-Amarela e também para os terminais de ônibus Princesa Isabel (centro), Lapa (oeste) e Pinheiros (oeste).
O corredor da Raposo deve estar conectado ao corredor de ônibus da Avenida Escola Politécnica, também previsto pela prefeitura.
Atualmente, segundo o estudo, 19 linhas municipais servem a região, sendo que 10 diretamente onde estará o condomínio. Outras cinco linhas servem os bairros do outro lado da Raposo Tavares e mais quatro atendem a região do Rio Pequeno, usando o eixo da Politécnica.
A proposta é que duas linhas com ônibus maiores sigam pelo eixo da Politécnica até os terminais Pinheiros e Lapa.
Três linhas devem seguir pela Raposo Tavares com destino aos terminais Pinheiros e Princesa Isabel e até a Estação Leopoldina, da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.
Haverá também uma ligação para o Terminal da Estação São Paulo-Morumbi com trajeto ainda a ser definido.
Contando com moradores, trabalhadores da região e usuários de linhas que vão fazer conexão, a estimativa é que o terminal receba de 48 mil a 50 mil pessoas por dia útil. O terminal terá duas entradas de ônibus, uma pela Raposo e outra pelo condomínio. Também será construído um viaduto para os ônibus acessarem a rodovia no sentido São Paulo.
O empreendimento é alvo de uma disputa judicial entre a prefeitura de São Paulo e Osasco pelas obras de compensação de tráfego e saneamento ambiental. Osasco alega que ao menos 3% do Reserva Raposo estão em seu território e que o número de pessoas e veículos vai prejudicar o trânsito na cidade.

Fonte: Diariodotransporte por:Adamo Bazani jornalista especializado em transportes

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Previdência Social - INSS: Procurador federal Renato Rodrigues Vieira é o novo presidente



O procurador federal da Advocacia-Geral da União (AGU), Renato Rodrigues Vieira, será o novo presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (16).
 Vieira já ocupou os cargos de Subprocurador-Regional federal da 1ª Região (2008 a 2010), de Procurador-Regional Federal da 5ª Região (2010 a 2013), de Subprocurador-Geral Federal (2013 a 2015), de Procurador-Geral Federal (2015 a 2016) e de Assessor Especial da Casa Civil da Presidência da República (2016 a 2019).
Possui experiência em atuação jurídica, tanto na consultoria e no assessoramento jurídico quanto na representação judicial e extrajudicial das entidades da administração pública, inclusive do INSS. Além disso atuou como dirigente máximo da carreira de Procurador Federal, quando detinha competência para atividades disciplinares, de planejamento e de gestão estratégica.
Fonte: INSS/MPS

domingo, 20 de janeiro de 2019

Artigo: Rodovia Raposo Tavares - VLT-Um Sonho Possível?

Artigo publicado no https://www.mob1.one/ um novo parceiro em informações. 



Olá; Galerinha sou administrador do Blog #MOBOLIDADECOTIA, tendo informações de Cotia e Regiões e outras , assim tendo como foco o transportes coletivos e assuntos sobre nossa sociedade.

Mas bem,vamos lá.

Desde os anos 90 a cidade de Cotia vêm crescendo desordenadamente, veículos , condomínios, moradores, e isso requereu muita atenção dos gestores governantes que não se preocuparam em fazer a melhorias para os novos moradores da cidade.

No caso a unica rodovia que corta a cidade de Cotia esteve parada ops congestionada com o crescimento da população e parece ainda que não causou nenhuma preocupação para os governantes do nosso estado de São Paulo e da Cidade de Cotia.Ou seja a rodovia continua com transito caotico praticamento todos os santos dias , e ninguém tomou uma iniciativa de melhorar o transporte coletivo.

Ainda ouve se falar em faixa exclusiva para ônibus, a construção do Metrô de Butantã até Cotia, a construção do VLT Ligando Vila Sônia SP até Cotia, mas como diz o ditado isso ta parecendo Caviar ,Você sabe o que é caviar? 

Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar , então nosso caso é o mesmo só ouvimos,e sabemos o que é, já temos bons exemplos implantados nas linhas do Metrô SP ,e não podemos deixar só por promessas...



O que acham é um sonho possível ou não?. A realidade é agora , e quem faz somos nós seres humanos comprometidos com o bem...


Obrigado; Galerinha espero seus comentários, ah e não deixem de compartilhar,pois sua participação é muito importante para nossa sociedade...




Por: Carlinhos Aniceto, Blogueiro

EMTU: Ônibus intermunicipais já circulam com tarifa mais alta


Pagamento com cartão BOM já desconta nova tarifa no validador. Foto: Adamo Bazani
Trólebus do Corredor Metropolitano ABD foram de R$ 4,30 para R$ 4,80 à meia-noite deste domingo
 Os trólebus e coletivos do Corredor Metropolitano ABD foram de R$ 4,30 para R$ 4,80 à meia-noite, por exemplo.
O Corredor ABD liga São Mateus, na zona Leste da capital paulista, ao Jabaquara, na zona sul, em 33 quilômetros, passando por Santo André, Mauá (Terminal Sônia Maria), São Bernardo do Campo e Diadema, e o trecho e de 12 quilômetros entre Diadema e o Brooklin, na zona Sul de São Paulo.
Nesta sexta-feira, 18 de janeiro de 2019, a STM – Secretaria de Transportes Metropolitanos divulgou os valores que variam de acordo cm a extensão e tipo de serviço. Os aumentos médios na Grande São Paulo são de 6,45%, como mostrou em primeira mão o Diário do Transporte.
Relembre:
No caso dos aumentos da EMTU, não adianta carregar o Cartão BOM antecipadamente porque com ele o débito é sempre pelo valor da passagem e não por crédito. Desta forma, quem passar o cartão neste domingo pelos validadores dos ônibus intermunicipais, já vai pagar o novo valor, com reajuste.
Além dos ônibus e trólebus do Corredor ABD, também estão com novos valores os ônibus intermunicipais Região Metropolitana de São Paulo, Região Metropolitana da Baixada Santista, Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte e Região Metropolitana de Sorocaba.
CONFIRA OS VALORES POR LINHA, CLICANDO SOBRE OS ARQUIVOS OFICIAIS:
– Região Metropolitana de São Paulo
– Região Metropolitana da Baixada Santista
– Região Metropolitana do Vale do Paraíba
– Região Metropolitana de Sorocaba
Veja as tabelas completas na reportagem do Diário do Transporte:

Fonte: Diariodotransporte por: Jessica Marques

Cotia: Aumentou tarifa dos ônibus para R$ 4,50



Andar de ônibus vai ficar mais caro em Cotia. Foto: David Macedo Rocha (Clique para Ampliar)
Valor atual era de R$ 4,35
O valor passou dos atuais R$ 4,35 para R$ 4,50.
O decreto foi publicado pelo prefeito Rogério Franco e vale tanto para o serviço por empresa de ônibus como para o sistema alternativo.
No ano passado, a tarifa de Cotia foi alvo de uma disputa judicial.
O valor foi reajustado em março de 2018, mas uma liminar de junho suspendeu o reajuste. A prefeitura conseguiu rever a decisão no mês seguinte.
Relembre:
Na Grande São Paulo, diversas outras cidades já reajustaram as tarifas de ônibus..
As tarifas do Metrô e da CPTM aumentaram neste domingo, 13 de janeiro de 2019, juntamente com as integrações com os ônibus municipais da capital paulista, de gestão da SPTrans – São Paulo Transporte.
As tarifas dos ônibus gerenciados metropolitanos pela EMTU e as passagens dos ônibus rodoviários intermunicipais e dos suburbanos do sistema da Artesp sobem no dia 20 de janeiro de 2019.
GRANDE SÃO PAULO:
Cotia: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 16 de janeiro de 2019 
Itapecerica da Serra: De R$ 3,50 para R$ 3,75 – 13 de janeiro de 2019
São Caetano do Sul: De R$ 4,20 para R$ 4,50 –  13 de janeiro de 2019
Mogi das Cruzes: De R$ 4,10 para R$ 4,50 – 13 de janeiro de 2019
Cajamar: De R$ 4,35 para R$ 4,60 – 13 de janeiro de 2019
Ribeirão Pires: De R$ 4,00 para R$ 4,40 – Vale-Transporte: R$ 4,60 – 13 de janeiro de 2019
Rio Grande da Serra: De R$ 3,80 para R$ 4,20 – 12 de janeiro de 2019
Francisco Morato: De R$ 4,20 para R$ 4,45 – 07 de janeiro de 2019
Franco da Rocha: De R$ 4,35 para R$ 4,60 – 07 de janeiro de 2019
Santo André: De R$ 4,40 para R$ 4,75 e Vale-Transporte de R$ 5,50 para R$ 5,95 – 06 de janeiro de 2019
Caieiras: De R$ 4,35 para R$ 4,60 – 06 de janeiro de 2019
Diadema: De R$ 4,40 para R$ 4,65 – 06 de janeiro de 2019(Cartão SOU Comum – R$ 4,25 / Dinheiro –  R$ 4,65 / Vale Transporte – R$ 4,88)
Barueri: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 06 de janeiro de 2019
Carapicuíba: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 05 de janeiro de 2019
Osasco: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 01º de janeiro de 2019
São Bernardo do Campo: De R$ 4,40 para R$ 4,75 – 01º de janeiro de 2019
Itapevi:  De R$ 4,35 para R$ 4,50. – 01º de janeiro de 2019
Fonte: Diariodotransporte por:Adamo Bazani jornalista especializado em transportes

sábado, 12 de janeiro de 2019

Atenção Senhores Passageiros: Tarifas de ônibus metropolitanos da EMTU e do VLT sobem no dia 20 de janeiro

Valores variam de acordo com as linhas. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) / Clique para Ampliar
Quem usa ônibus metropolitanos intermunicipais gerenciados pela EMTU vai pagar passagens mais caras a partir do próximo domingo, 20 de janeiro de 2019. Também haverá reajuste da tarifa do VLT – Veículo Leve sobre Trilhos que liga Santos e São Vicente, no litoral paulista.
Os preços variam de acordo com a extensão e os tipos das linhas e ainda serão divulgados ao longo da semana pela gerenciadora, assim como os percentuais de reajuste.
O secretário de transportes metropolitanos da gestão João Doria, Alexandre Baldy, enviou o comunicado ao presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Cauê Macris, comunicando o aumento.
A EMTU gerencia os ônibus intermunicipais metropolitanos comuns (azul escuro) e seletivos (cinza) na região metropolitana de São Paulo, região metropolitana de Campinas, região metropolitana de Sorocaba, região metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte e região metropolitana da Baixada Santista.
A empresa estatal também regula os serviços do VLT da Baixada Santista, operados pela BR Mobilidade, e o Corredor ABD, de ônibus e trólebus, operado pela Metra entre São Mateus e Jabaquara passando por Santo André, Mauá (Terminal Sônia Maria), São Bernardo do Campo e Diadema, com a extensão Diadema-Brooklin.
SPTRANS, METRÔ E CPTM:
A partir deste domingo, 13 de janeiro de 2019, as tarifas dos trens da CPTM e do Metrô sobem de R$ 4,00 para R$ 4,30. A integração com os ônibus gerenciados pela SPTrans – São Paulo Transporte na capital paulista, que subiu no domingo passado por causa do reajuste do sistema municipal, tem outro aumento, de R$ 7,21 para R$ 7,48.
A dica para sentir um pouco mais tarde este reajuste no bolso é carregar o Bilhete Único até às 23h59 deste sábado.
Isso porque, os créditos comprados até hoje vão ser debitados pelo valor anterior ao aumento até acabarem.
Pelo site da SPTrans, é possível saber os endereços dos postos de recarga do Bilhete Único e também comprar pela internet, com pagamento por boleto bancário. Os créditos comprados até a data do aumento ainda serão descontados nas catracas pelo valor de R$ 4,00.
Há também a possibilidade de compra de créditos por aplicativos de celulares, mas o usuário deve estar atendo às taxas de serviço e carregamento.
A SPTrans disponibiliza a relação de algumas opções:
O passageiro deve também calcular se vale mais a pena o Bilhete Único Comum, o 24 Horas ou o Mensal.
Mogi das Cruzes: R$ 4,10 para R$ 4,50 – 13 de janeiro de 2019GRANDE SÃO PAULO:
Cajamar: De R$ 4,35 para R$ 4,60 – 13 de janeiro de 2019
Ribeirão Pires: De R$ 4,00 para R$ 4,40 – Vale-Transporte: R$ 4,60 – 13 de janeiro de 2019
Rio Grande da Serra: De R$ 3,80 para R$ 4,20 – 12 de janeiro de 2019
Francisco Morato: De R$ 4,20 para R$ 4,45 – 07 de janeiro de 2019
Franco da Rocha: De R$ 4,35 para R$ 4,60 – 07 de janeiro de 2019
Santo André: De R$ 4,40 para R$ 4,75 e Vale-Transporte de R$ 5,50 para R$ 5,95 – 06 de janeiro de 2019
Caieiras: De R$ 4,35 para R$ 4,60 – 06 de janeiro de 2019
Diadema: De R$ 4,40 para R$ 4,65 – 06 de janeiro de 2019(Cartão SOU Comum – R$ 4,25 / Dinheiro –  R$ 4,65 / Vale Transporte – R$ 4,88)
Barueri: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 06 de janeiro de 2019
Carapicuíba: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 05 de janeiro de 2019
Osasco: De R$ 4,35 para R$ 4,50 – 01º de janeiro de 2019
São Bernardo do Campo: De R$ 4,40 para R$ 4,75 – 01º de janeiro de 2019
Itapevi:  De R$ 4,35 para R$ 4,50. – 01º de janeiro de 2019
Fonte: Diariodotransporte por:Adamo Bazani  jornalista especializado em transportes